14 de abril de 2019

Saúde em sala: existe postura correta para estudar?

Dores crônicas nas costas podem afetar a rotina das pessoas de diversas formas, desde a dificuldade em movimentos até no convívio social. O senso comum costuma associar esse problema à má postura, mas não existe um preditor que a relacione às dores.
Saúde em sala: existe postura correta para estudar?
 
Dores crônicas nas costas podem afetar a rotina das pessoas de diversas formas, desde a dificuldade em movimentos até no convívio social. O senso comum costuma associar esse problema à má postura, mas não existe um preditor que a relacione às dores.

O Professor Dr. Renato José Soares (UNITAU) indica quais medidas são adequadas e eficazes na prevenção de dores crônicas, considerando as pesquisas atuais:
- Movimento é fundamental: Ficar muito tempo em uma posição, seja ela dita má postura, seja ela dita postura ideal, facilita desconfortos. Nos intervalos entre as aulas, é recomendado que o aluno levante e movimente o corpo, a cada 1h aproximadamente. Quanto mais o aluno estiver em movimento, melhor.
- Atividade física regular: O exercício, de forma geral, é um grande aliado na prevenção de lesões e de dores. Qual é o melhor exercício? É aquele com o qual a pessoa tenha afinidade e se mantenha realizando ao longo da vida.
- Cuidado com a preocupação excessiva: Tem se criado, nesse modelo de postura correta, uma hiper-vigilância das pessoas, ou seja, elas contraem seu corpo inteiro para manter uma boa postura. Esse comportamento não é ideal. A ciência tem mostrado que isso não é um preditor de sucesso na prevenção de dores crônicas nas costas.
- Equilíbrio mente x corpo: Devemos sair do senso comum para considerar o que a ciência tem mostrado, criar modelos que busquem crianças mais ativas, que vivam uma dinâmica corporal maior, que façam atividade física recreativa e que tenham uma vida saudável, abrangendo corpo e mente.