16 de junho de 2019

A escoliose pode causar danos ao sistema respiratório?

Os últimos estudos mostraram uma correlação entre a função pulmonar prejudicada e a escoliose em curvas muito severas, ou seja, acima de 80 °
Sabemos que a escoliose se manifesta com alterações da coluna vertebral nos três planos do espaço. As costelas, intimamente relacionadas à coluna, seguem essas alterações da coluna, adaptando-se e modificando-se. É por isso que nos preocupamos que os pulmões possam estar comprometidos em sua função respiratória ou capacidade vital na presença da escoliose.

Os últimos estudos mostraram uma correlação entre a função pulmonar prejudicada e a escoliose em curvas muito severas, ou seja, acima de 80 °. Porém, as alterações do tronco e da caixa torácica causadas pela deformidade da coluna devem ser consideradas não apenas analisando a extensão dos graus. Uma escoliose severa, que tenha mantido um bom equilíbrio dos outros parâmetros, por exemplo, a cifose torácica, poderia ser mais funcional do que uma escoliose com menos graus e uma redução da cifose.

Como sabemos, o "flat back" (isto é, a redução considerável da cifose) é uma conseqüência negativa da escoliose na torácica, razão pela qual na prática cotidiana e na construção de coletes, tentamos evitar esse fenômeno, que também está relacionado capacidade pulmonar reduzida.

Outros fatores importantes que devem ser avaliados são o tipo e a qualidade de vida que se tem. Permanecer ativo, praticando atividade física é certamente uma condição que poderia fazer a diferença precisamente na manutenção da capacidade respiratória adequada. Portanto, o risco de que a escoliose leve ou média possa causar danos ao sistema respiratório é muito baixo.

Não são apenas os graus da curva que determinam a correlação com a diminuição das capacidades respiratórias, mas outras características anatômicas e de estilo de vida também podem entrar em jogo.
Os estudos também continuam nesse sentido, tentando entender o máximo possível todas as correlações para ter maior certeza e ser capaz de oferecer as melhores terapias preventivas e conservadoras.

Fonte: Página "Tratando Escoliose" (publicação super interessante no blog da @isico.italia- tradução livre do italiano)